Começou, na última terça-feira (2), mais uma Campanha de Vacinação contra a Febre Aftosa junto aos produtores cearenses. A ação segue até o dia 31 de maio deste ano. A Agência de Defesa Agropecuária do Ceará (Adagri), que coordena a Campanha, lembra que nesta etapa bovinos e bubalinos de todas as idades devem ser vacinados. Isso significa cerca de 2,7 milhões animais em todo o Estado.

“É muito importante que o criador faça essa vacinação para que a gente mantenha o nosso status de Livre de Febre Aftosa, ainda com vacinação. E nos próximos anos avance para o status de livre da doença sem vacinação”, reforça o presidente da Adagri, Elmo Aguiar.

Além da vacinação, os produtores devem declarar junto a Adagri a vacinação do rebanho até o dia 15 de junho deste ano. “O documento pode ser preenchido de forma virtual, no site da Adagri (www.adagri.ce.gov.br) ou presencialmente em um dos 40 Núcleos Local da Adagri (NL) ou nos escritórios parceiros da Campanha”, explica o diretor da Sanidade Animal da Adagri, Amorim Sobreira.

A Aprece é parceira da Campanha, juntamente com a Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Ceará (Ematerce), Federação da Agricultura e Pecuária do Estado do Ceará (FAEC/Senar), Federação dos Trabalhadores Rurais Agricultores e Agricultoras Familiares do Estado do Ceará (Fetraece) e Secretarias de Agricultura municipais.

 

 

Ceará Livre de Aftosa sem Vacinação

No Ceará a Adagri coordena o Plano Estratégico de Retirada da Vacinação da Febre Aftosa, elaborado pelo Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA). O documento, que envolve operações e metas, tem como objetivo nortear o Estado para alcançar o status de Livre de Febre Aftosa sem Vacinação.

“No passado o Ceará já sofreu várias perdas econômicas e sanitárias, mas graças ao trabalho que a Adagri, os órgãos parceiros e os criadores, a realidade hoje é outra. Agora precisamos alcançar um novo status e uma das metas para isso é vacinar mais de 90% do rebanho. Por isso é fundamental que todos os criadores vacinem seu rebanho e assim ajudem o Ceará a cumprir com seu compromisso”, reforça o coordenador do Programa Estadual de Vigilância para a Febre Aftosa, Joaquim Sampaio.

Com informações da Adagri